domingo, 18 de fevereiro de 2007

SPORTING MAIS FORTE, NÃO MERECIA EMPATE


O Sporting empatou em Paços de Ferreira, num jogo em que foi mais forte, criou mais perigo e ainda esteve em vantagem. Com sorte, os jogadores do Paços chegaram ao empate, um resultado que os “leões”, pelo que fizeram, não mereciam.

O Sporting deslocou-se a Paços de Ferreira para defrontar uma equipa que no seu reduto não sofre uma derrota há cerca de um ano. Para esta partida, Paulo Bento abdicou do sistema de três defesas, o mesmo que perante o Nacional deu a reviravolta ao resultado. Desta vez, o técnico colocou em prática o 4x4x2. Assim, com Ricardo na baliza, os “leões” jogaram com Caneira, Tonel, Polga e Ronny na linha defensiva. A meio campo, Velos, com Nani mais descaído para a direita e João Moutinho para a esquerda, enquanto Yannick Djaló actuou atrás dos avançados Liedson e Bueno.

O Sporting poderia ter chegado ao golo nos primeiros dez minutos, momento em que causou grande pressão sobre o adversário, utilizando a sua velocidade e qualidade técnica, obrigando os jogadores de Paços de Ferreira a jogarem mais recuados. A partida, jogada com grande intensidade e com a bola quase sempre em jogo, dava uma clara ideia de que ambas as formações queriam o melhor resultado possível.

Aos 37 minutos os sportinguistas reclamaram uma grande penalidade que o árbitro preferiu não assinalar. Antunes cortou um lance com a mão, mas o jogo continuou. Ainda a fechar a primeira metade, aos 44 minutos, Nani protagonizou um remate de grande espectacularidade, mas Pessanha evitou o tento ao jovem “leão”.

O Sporting controlava o jogo na perfeição, jogava com tranquilidade e fazia adivinhar que mais tarde, ou mais cedo, chegaria ao golo. O mesmo apareceu no início da segunda metade, aos 51 minutos, com Liedson a fazer um grande golo, dando continuidade a um belíssimo passe de Miguel Veloso.

Com o objectivo claro de aumentar a vantagem, os sportinguistas produziam inúmeras jogadas de ataque. Aos 64 minutos, poderia ter nascido o segundo golo verde e branco, num lance em que Peçanha foi bombardeado por três “tiros”, primeiro de Moutinho, depois Bueno e, finalmente, Yannick Djaló, mas Peçanha manteve-se firme entre os poste e, de forma incrível, inviabilizou o tento aos “leões”.

E, quando nada indicava que o Paços de Ferreira iria chegar ao golo, eis que aos 71 minutos, Cristiano conseguiu ultrapassar Caneira e efectuar um remate fortíssimo, sem dar hipóteses de defesa a Ricardo.

Aos 81 minutos, com o objectivo claro de conquistar os três pontos, Paulo Bento fez sair o defesa Caneira, colocando em campo um jogador mais ofensivo, Romagnoli. O Sporting tentou o tudo por tudo, lutando ao máximo para repor a justiça no marcador. Liedson ainda rematou ao poste, aos 87 minutos, mas a sorte estava do lado de Paços de Ferreira e a bola não entrou.

Ficha de jogo:

Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira
Árbitro: Pedro Proença (Lisboa)
Árbitros assistentes: Tiago Trigo e Ricardo Santos
4.º Árbitro: Armando Branco

PAÇOS DE FERREIRA – Peçanha; Mangualde, Luís Carlos, Paulo Sousa e Antunes; Geraldo, Elias, Fahel e Ricardinho (Cristiano, 59m); João Paulo e Edson (Leanderson, 89m).
Treinador: José Mota
Acção disaciplinar: Cartão amarelo para Peçanha (64m).
Golo: Cristiano (71m)

SPORTING – Ricardo; Caneira (Romagnoli, 81m), Tonel, Polga e Ronny; Miguel Veloso, Nani, João Moutinho e Yannick Djaló (Carlos Martins, 67m); Liedson e Bueno (Alecsandro, 67m).
Treinador: Paulo Bento
Acção disciplinar: Cartão amarelo para Carlos Bueno (64m) e Tonel (90m).
Golo: Liedson (51m)

2 comentários:

Gonçalo Gomes disse...

Bom dia. Falo em nome do http://planetfootball10.blogspot.com/. Estamos prestes a iniciar um site e precisamos de um colaborador do sporting. Se alguem estiver interessado o meu mail: marafado2643@hotmail.com

eloy disse...

Caros Confrades,

Como Sportinguista, tomei a liberdade de elaborar esta petição para pedir ao Figo que volte ao Sporting. Se acharem por bem assinem e divulguem por favor. Obrigado.

http://www.PetitionOnline.com/Figo/petition.html